E POR ONDE ANDA O AUTOR DESTE BLOGUE?????



Caros Amigos,

Temos o prazer de vos informar sobre o lançamento do site HistoryJoy®. Concebido como um Expositor Multicultural com inspiração histórica, em 10 idiomas e em constante crescimento, procura levar-vos ao encontro de milhares de produtos organizados por categorias e épocas.

Em HistoryJoy poderá encontrar livros, música, filmes, jogos, jóias, moda, arte & decoração, viagens e uma secção sem fins lucrativos destinada à divulgação cultural e histórica, "Pesquisa".

Desde já vos encorajamos a uma visita ao nosso site e a mergulhar no mundo mágico da história da Humanidade.

Além disso, sinta-se livre para estender o convite a todos aqueles que poderiam compartilhar a nossa paixão pela História.

Abraços e beijos,

Obrigado pela partilha ;)

www.facebook.com/HistoryJoy .... E se gostar, deixe o seu "like". Obrigado ;)

Dear Friends,

We are pleased to inform you of the release of our brand new website, HistoryJoy®. A Multicultural Showcase with historical inspiration, in 10 languages and whose mission is offering historically-related products, organized by categories and periods. There, you can find Books, Music, Movies, Games, Fashion, Jewelery, Fashion, Art & Décor, Travel and a non-profit section for cultural and historical disclosure, “Research”.

We encourage you to have a look to our website and immerse yourself in the magical world of the history of Mankind.

Furthermore, feel free to extend this invitation to those who could share our passion for history.

Hugs and kisses,

Thanks for sharing! ;-)

www.facebook.com/HistoryJoy .... And if you like, give a "like". Thank you ;)

CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROJECTO

Os temas da Área de Projecto partem sempre de problemas que são levantados pelos alunos ou pelo professor e que podem ser motivo de reflexão e de estudo, sendo muitas vezes suscitados pela conjuntura que se vive. Neste caso, a ameaça pandémica da Gripe A (H1N1/v) que se fazia sentir em Setembro de 2009, antes mesmo do início das actividades lectivas, fez com que se privilegiasse este problema, tendo sido assumido como tema-base do 1º Período. Associado a ele, os alunos da turma C do 9º Ano partiram à exploração de outras doenças epidémicas e pandémicas, entrando assim em diferentes contextos cronológicos e geográficos, tendo desse trabalho resultado as apresentações em PowerPoint que seguidamente se apresentam.


PLANIFICAÇÃO


[Clique sobre o documento para a sua ampliação.]

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO




[Clique sobre o documento para a sua ampliação.]

GRUPOS DE TRABALHO/ GRELHA DE CONTROLE





[Clique sobre o documento para a sua ampliação.]

ENDEMIA, EPIDEMIA, PANDEMIA e EPIDEMIOLOGIA

"EPIDEMIA E ENDEMIA


Os termos epidemia e endemia são dos mais antigos em medicina. No Corpus Hippocraticum há sete livros com o título de Epidemias e Galeno usou endemia com o mesmo significado actual.
Quando se indaga sobre a diferença entre epidemia e endemia, ocorre-nos, imediatamente, a ideia de que a epidemia se caracteriza pela incidência, em curto período de tempo, de grande número de casos de uma doença, ao passo que a endemia se traduz pelo aparecimento de menor número de casos ao longo do tempo.

A distinção entre epidemia e endemia não pode ser feito, entretanto, com base apenas na maior ou menor incidência de determinada enfermidade numa população. Se o elevado número de casos novos e sua rápida difusão constituem a principal característica da epidemia, para a definição de endemia já não basta o critério quantitativo. O que define o carácter endémico de uma doença é o facto de ser a mesma peculiar a um povo, país ou região.

A própria etimologia da palavra endemia denota este atributo. Endemos, em grego clássico, significa "originário de um país, indígena", "referente a um país", "encontrado entre os habitantes de um mesmo país(...)

PANDEMIA

Pandemia, palavra de origem grega, formada com o prefixo neutro pan e demos, povo, foi pela primeira vez empregada por Platão, em seu livro Das Leis. Platão usou-a no sentido genérico, referindo-se a qualquer acontecimento capaz de alcançar toda a população. No mesmo sentido foi também utilizada por Aristóteles.
Galeno utilizou o adjectivo pandémico em relação a doenças epidémicas de grande difusão.
O conceito moderno de pandemia é o de uma epidemia de grandes proporções, que se espalha a vários países e a mais de um continente. Exemplo tantas vezes citado é o da chamada "gripe espanhola", que se seguiu à I Guerra Mundial, nos anos de 1918-1919, e que causou a morte de cerca de 20 milhões de pessoas em todo o mundo.

EPIDEMIOLOGIA

Epidemiologia, etimologicamente, significa estudo das epidemias. (...)

Cit. in Joffre M. de Rezende (2004), Linguagem Médica, 3ª. ed., da AB Editora e Distribuidora de Livros Ltda. "

http://usuarios.cultura.com.br/jmrezende

AS EPIDEMIAS E OS MASS MEDIA...



Deixa o teu comentário...

CONTADOR MUNDIAL DE MORTALIDADE, NATALIDADE E OUTROS FENÓMENOS DEMOGRÁFICOS




Poodwaddle.com

AS PANDEMIAS DE GRIPE



[Clique no documento para a sua ampliação e leitura.]

Fonte: Gripenet

GRIPE A

NOTÍCIAS:

A OMS mantém o seu nível de alerta na fase pandémica

"Uma pandemia é uma epidemia à escala mundial. No caso da gripe, as pandemias são fenómenos distintos das epidemias sazonais. Epidemias sazonais acontecem todos os Invernos provocadas por um vírus ligeiramente modificado relativamente ao do ano anterior. Os vírus são, no entanto, do mesmo subtipo.

No caso de uma pandemia, uma versão completamente diferente do vírus emerge. O novo vírus pertence, neste caso, a um subtipo diferente. As pessoas não têm imunidade contra o vírus emergente e, como resultado, a taxa de mortalidade associada a uma pandemia é geralmente maior da que estamos habituados a associar à gripe sazonal. Não tem sido, contudo, esse o caso com a pandemia do novo H1N1 (que começou por se chamar gripe suína ou gripe mexicana), sendo o seu rácio de mortalidade de 0,1 por mil habitantes, isto é, mais baixo do que na maioria das epidemias sazonais. Apesar disso, a Organização Mundial de Saúde mantém o seu nível de alerta na fase pandémica."

Cit in Gripenet, sob patrocínio do Instituto de Ciências da Fundação Calouste Gulbenkian.

"A directora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, disse hoje que o nível de alerta pandémico para a gripe A (H1N1) deve manter-se."

Cit. in Público Online, 29.12.2009









MAPA DA MORTALIDADE PELO H1N1/v




Fonte: OMS - mapa actualizado.

(Clique sobre a imagem para visualizar o mapa.)

GRIPE ESPANHOLA




"A gripe espanhola, que não teve origem em Espanha, foi de longe a mais mortal, provocando cerca de 40 milhões de mortes em todo o mundo. Foi provocada por um vírus do subtipo H1N1. Os nossos cuidados com a gestão da pandemia estão sobretudo relacionados com uma reedição do que passou em 1918. A gripe espanhola foi responsável por um decréscimo da esperança de vida nos Estados Unidos, em 1918, de cerca de 10 anos superior a qualquer ano da segunda guerra mundial. Grandemente responsável por este valor foi o padrão pouco usual das mortes provocadas pelo vírus, incidindo sobretudo em crianças até aos 4 anos e em adultos entre os 25 e 34 anos. Julga-se que as faixas etárias acima dos 34 anos foram poupadas por terem tido contacto com um vírus semelhante ao H1N1 que se supõe ter circulado antes de 1889."
Cit in Gripenet.

A designação "gripe espanhola" deverá ter a sua origem no facto da imprensa na Espanha, país que não participou na I Guerra Mundial, ter noticiado abundantemente e de forma muito alarmista que civis em muitos lugares estavam a adoecer e a morrer em grande número. Esta designação causa ainda alguma perplexidade aos estudiosos, uma vez que este país não foi sequer o primeiro a registar casos, nem foi o mais atingido.

Consultar a este propósito, Wikipédia.



Hospital de campanha dos EUA em Aix-Les-Bains, França, em 1918



Enfermeira usando uma máscara protectora num hospital de campanha. Outubro de 1918.



Polícias de Seattle, nos EUA, protegidos com máscaras oferecidas pela Cruz Vermelha. Dezembro de 1918, em plena expansão da Gripe Espanhola.


Diz um telegrama oficial estadudinense datado de 17/Out./1918: "Lucy Anton doente pneumonia sequência [da] gripe parece sério Por favor avise mãe Catherine Antone em Santan"

CÓLERA

DOENÇA DO SONO



"Angola ocupa o segundo lugar da lista de países africanos mais afectados pela mosca tsé tsé, portadora da doença do sono, informou quinta-feira o Director Geral do Instituto de Combate e Controlo das Tripanossomíases (ICCT), de Angola, Josenando Teófilo.


A República Democrática do Congo encabeça a lista. A seguir a Angola, a segunda mais afectada, estão o Uganda e o Sudão. O responsável advertiu para esta estatística na apresentação do tema "Importância médica e económica das tripanossomíases em África e Angola", no 4.º Congresso Internacional de Médicos. Segundo Josenando Teófilo, Angola possui aproximadamente dezasseis milhões de habitantes, cinco dos quais estão expostos ao risco de contraírem a doença do sono. Dezasseis mil casos são diagnosticados anualmente no continente africano, sendo cerca de três mil em Angola..

A tripanossomíase também afecta animais, sendo responsável pela morte de 15 a 25 por cento do gado bovino. Um animal picado por uma mosca doente apresenta um emagrecimento acentuado, anemia, redução da fecundidade e da qualidade e quantidade de carne e leite, abortos e atraso de crescimento.
Para o médico, as consequências socio-económicas das tripanossomíases são dramáticas para os países africanos pobres e, sobretudo, naqueles onde a doença tem evolução epidemo-endémica como Angola. Lutar contra as tripanossomíases, bem como os seus vectores (mosca tsé tsé), deve ser considerada uma necessidade que contribui para a redução da pobreza, melhoria do bem-estar das populações e desenvolvimento comunitário, concluiu."

Cit. in Angola Press


LEPRA

GRIPE AVIÁRIA

PESTE NEGRA








MALÁRIA

M
















TIFO

GRIPE A - VIDEOS OFICIAIS




BALANÇO

O presente projecto decorreu durante o 1º Período e envolveu directamente os alunos do 9º C, na área curricular não disciplinar de Área de Projecto. A temática em causa foi trabalhada ainda por estes alunos em Formação Cívica, tendo também sido abordada em História, o mesmo acontecendo com os alunos do 8º Ano, no caso concreto desta última área curricular.

Todos os objectivos do projecto foram alcançados, a saber:

A) Os alunos, não só apuraram o sentido de observação da realidade envolvente no contexto actual da Gripe A -  tema-mote -, como dele partiram de forma retrospectiva, pesquisando e conhecendo outras pandemias, algumas das quais ainda em plena existência;

B) Com este projecto conseguiu-se promover nos alunos a curiosidade e o prazer pela aprendizagem e pela pesquisa no âmbito da História, optimizando recursos tradicionais ou inovadores;

C) Contribuiu-se de forma clara, na grande maioria dos alunos do 9º C, para o desenvolvimento das competências específicas da História e de competências transversais, designadamente no âmbito da Língua Portuguesa e das Tecnologias de Informação e Comunicação - designadamente através do tratamento da informação pesquisada e seleccionada e da elaboração de trabalhos em PowerPoint;

D) Conseguiu-se ainda aperfeiçoar as competências relacionadas com a produção de trabalhos de grupo: responsabilidade, pesquisa, selecção e tratamento da informação, cooperação, organização e comunicação. A qualidade dos dezasseis trabalhos apresentados  - dos quais foram seleccionados doze para fazerem parte do Blogue EPIdemias e PANdemias + A Gripe A - são disso testemunho, bem assim como os resultados alcançados em Área de Projecto, ainda que neste concerne se detectem competências problemáticas que há que desenvolver (criatividade e reflexão pessoal).



Todas as etapas/actividades previstas foram cumpridas dentro dos prazos, tendo o sentido de responsabilidade e o grau de envolvimento dos alunos sido monitorizados de forma rigorosa e regular através de grelhas de controle e de avaliação produzidas pelo docente dinamizador.

O Blogue referido apresenta as seguintes entradas: CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROJECTO, PLANIFICAÇÃO, CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO, GRUPOS DE TRABALHO/ GRELHA DE CONTROLE, ENDEMIA, EPIDEMIA, PANDEMIA E EPIDEMIOLOGIA, AS EPIDEMIAS E OS MASS MEDIA, AS PANDEMIAS DE GRIPE, GRIPE A, MAPA DA MORTALIDADE PELO H1N1/v, GRIPE ESPANHOLA, CÓLERA, DOENÇA DO SONO, LEPRA, GRIPE AVIÁRIA, MALÁRIA, PESTE NEGRA, TIFO, GRIPE A - VIDEOS OFICIAIS E BALANÇO.

A sua divulgação para as comunidades escolar, local e web foi efectuada através do site e do moodle do Agrupamento de Escolas de Marvila e do blogue da BIB/CRE Manuel Alegre.

16.12.2009
O docente: Rui Amado Fernandes

.